Minhas artes.

24 de fev. de 2019

Adicionar legenda









Isso... Isso...Isso... 


Acho que sou issos mesmo,
Esta sangria desatada; a força incubada

Uma solidão no plural
Uma onda
De um tudo para ontem
Porque meu amor 
Amanhã sinceramente ainda não é nada



Texto Lis Pareto

A espera...

23 de fev. de 2019



“Fechei os olhos e pedi um favor ao vento: Leve tudo que for desnecessário. Ando cansada de bagagens pesadas. Daqui para frente apenas o que couber no bolso e no coração.”

Frase creditada a Cora Coralina, mas não consta do acervo da autora segundo pesquisas, o autor é desconhecido.

Eliane Stahl


Escondidinha, lá está ela...
Acanhada, mas lá está.
Há momentos que a busco,
e não encontro.
Em outros aparece,
e tudo fica mais colorido.

Há uma criança dentro de mim...

Uma alma alegre,
que dança sem música,
que corre na chuva,
e brinca de ser feliz,

Há uma criança dentro de mim...

Às vezes sufocada...
soterrada pelas avalanches da vida...
Às vezes livre...
pronta para voar, com asas de cera...

Há uma criança dentro de mim...


Eliane Stahl


Imagem do blog Sueli Yleus-LiS Pareto



O que serei?

Sou tristeza e alegria
sou ao mesmo tempo agonia,
sou o que sou e o que não sou,
sou vírgula, sou vazia
Sou a luz do dia e a escuridão
na noite fria,
sou acalento e desencanto,
sou mistério e canção.






E de tanto ser já me cansei,
eu fui, eu sou e o que serei?

E de tanto me perguntar já me cansei,
eu fui, eu sou, o que serei?

Sinto-me alvor da manhã,
orvalho da madrugada,
desespero da solidão,
e felicidade partilhada.



E de tudo que sou
o que mais queria ser não fui,
e de tudo que à por vir o que serei?







Só há uma certeza em mim,
é a de que neste mundo,

ponto final  jamais eu serei.





Texto: Eliséia Fernandes Lussan




(imagem retiradas do pps)






 
Google Analytics Alternative